Tecnologia do Blogger.

17 outubro 2010

Análise da Música "Reina em Mim"

Existem muitas músicas na atualidade que são completamente envolventes e de ritmo extremamente agradável. Uma vez eu estava num culto da federação de jovens do Presbitério de Santo André e a equipe de louvor começou com uma música dessas que cativa desde o primeiro acorde. A letra é essa:


Sobre toda a terra Tu és o Rei 
Sobre as montanhas e pôr do sol 
Uma coisa só meu desejo é: 
Vem reinar de novo em mim. 

Reina em mim com Teu poder 
Sobre a escuridão, sobre os sonhos meus 
Tu és o Senhor de tudo o que sou 
Vem reinar em mim, Senhor. 

Sobre o meu pensar, tudo que eu falar 
Faz-me refletir a beleza que há em Ti 
Tu és para mim mais que tudo aqui 
Vem reinar de novo em mim.



Ao ouvir a letra, me senti completamente incomodado. Depois pensei melhor no texto e entendi o porquê do desconforto. Em primeiro lugar, a música expressa uma tremenda contradição. Se Deus é o Rei sobre toda a terra, por que o autor pediu para Deus reinar nele? Outra coisa que me incomodou foi a frase "vem reinar de novo em mim". Como fica a situação de um crente sincero que tem lutado para aprender a sã doutrina por anos, freqüentando reuniões de oração, testemunhando com a vida e palavras o evangelho de Cristo, compartilhando a mensagem salvadora com os amigos e vizinhos, que canta essa frase? Então o reinado de Cristo é assim, que vai e vem para alguém pedir que ele reine de novo? Um crente não pode cantar isso. Nem um incrédulo. Um incrédulo deveria cantar "reina em mim" e não "vem reinar de novo em mim", porque ele nunca se submeteu antes ao seu senhorio. E não nos esqueçamos de que o reinado de Cristo é sobre todos. Tanto é que o texto de Filipenses 2.9-11 diz que ele recebeu o nome que está acima de todo nome para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho no céu, na terra e embaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor para a glória de Deus Pai.
A outra estrofe repete a mesma impossibilidade lógica. Para quê pedir que ele venha reinar de novo em mim, se ele já é "para mim mais que tudo aqui"? Resumindo, essa música caiu no gosto geral de boa parte do povo evangelical porque foi recebida sem a devida reflexão. Veja bem, não é nem bíblica, mas lógica mesmo. Devemos pensar cuidadosamente sobre o que cantamos, para não afirmar frases incoerentes e quase irracionais. O Senhor quer ser adorado  e cultuado de modo agradável e inteligível (Rm 12.1). Para encerrar, transcrevo as palavras de Paulo em 1 Coríntios 14.15:  "Que fazer, pois? Orarei com o espírito, mas também orarei com o entendimento; cantarei com o espírito, mas também cantarei com o entendimento".


Pr. Charles

10 comentários:

Asp. Arthur Corrêa 19 de outubro de 2010 10:32  

Pr. Charles,

Tô gostando muito dessa série de análises de cânticos, tem me feito pensar bastante.
Esse cântico tem uma musicalidade cativante mesmo, todas as programações de jovens e adolescentes do meu presbitério nós cantamos ele, mas nunca tinha parado pra pensar na letra.
Excelentes seus comentários. Será que o sr. poderia apresentar uma alternativa pra essas partes, digamos, mais críticas do cântico?

Abraços.

Arthur Corrêa

Anônimo,  19 de outubro de 2010 17:57  

Olá

Entendo seu ponto de vista e as vezes me pego pensando assim, mas musica é poesia, poesia é paradoxal, exagerada, simbolica, aregorica...

Abraço
Alan
www.leidosentidocomum.blogspot.com

Charles Oliveira 19 de outubro de 2010 19:42  

Arthur,

A Igreja Presbiteriana de Santo André cantava: "Tu és Rei em mim, Senhor". Outra igreja cantava "Reinas sempre em mim, Senhor". São algumas das sugestões.

Abraço!

Charles Oliveira 19 de outubro de 2010 19:45  

Alan,

Não sei se você leu meu artigo sobre liberdade poética; creio que não. Se te interessar, leia no blog http://bibliacomisso.blogspot.com/2010/10/falacia-da-liberdade-poetica.html

Creio que minha opinião sobre a questão levantada por você está clara lá. Para mim a liberdade poética não pode suplantar a autoridade das Escrituras. Somente das regras da gramática.

Abraço!

Asp. Arthur Corrêa 19 de outubro de 2010 20:18  

Pr. Charles,

Gostei das alternativas, vou passar pro grupo de louvor daqui.
Outra coisa, será que qualquer dia o sr. poderia postar algum artigo sobre Graça Comum, focando o lado musical nisso? Tenho procurado algo assim na net, mas tá meio difícil. Tipo, cantores "seculares" são agraciados com a graça comum até que ponto? Por aí...

Abraços !

Arthur Corrêa

Charles Oliveira 21 de outubro de 2010 10:39  

Arthur,

Vou preparar um artigo sobre este assunto. Achei muito interessante a sua idéia de escrever sobre a graça comum e relacioná-la com a música.

Abraço!

Asp. Arthur Corrêa 25 de outubro de 2010 11:16  

Valeu Pr. Charles,

Vou aguardar !

Abraço !

Gabriela Costa 14 de abril de 2011 12:28  

Faz muito tempo que não cantamos essa aqui na minha igreja. Mas se voltarem a cantar, comentarei com eles. Eu sempre fiquei confusa nessa canção.

Sei que estou um pouco atrasada no comentário, mas queria saber a análise que vocês fazem da música "Eu Te busco", do David Quilan. É outra que não entendo.

Abraços.

Heleno Filho 16 de abril de 2011 05:43  

Gabi, estou preparando a análise da música, ok? Postarei na semana que vem, se Deus quiser.

Abraços!!

Heleno

BETO 30 de janeiro de 2015 18:02  

Aqui na nossa ja mudamos é só trocar e por
#vem reinar SENHOR em mim# no mais é boa
Pra adorar :-)graca e paz

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

Google Search

  ©Template by Dicas Blogger.