Tecnologia do Blogger.

18 agosto 2010

Amazing Grace (Graça Sublime) - John Newton



Querido leitor, esses dias fui surpreendido por um e-mail contendo um link de um vídeo constando de uma interpretação primorosa do mavioso hino "Amazing Grace", de John Newton. Este homem de Deus foi convertido à fé cristã após enviar vários navios de escravos aos Estados Unidos, no tempo da colonização norte-americana pela Inglaterra. Newton não nutria qualquer cuidado pelos escravos transportados em seu navio. Tratava-os como animais. Quando algum surto de disenteria ou outra enfermidade acometia um escravo, ele ordenava que o lançassem ao mar, sem qualquer dó ou piedade. Newton chegou a se declarar convertido no dia 10 de maio de 1748, mas continuou traficando escravos. Sua conversão se deu mesmo em meio à uma terrível tempestade, em 1755, na qual ele saiu do convés para se proteger. O marujo que assumiu seu lugar foi tomado pelas bravias ondas do mar. Newton entendeu que Deus o salvara, apesar de quem ele era. Após sua sobrevivência, John Newton deu provas de sua genuína conversão, vivendo para o Senhor, sem nunca perder a noção de seu pecado e da imensa graça de Deus. Foi discípulo de George Whitefield, líder do movimento metodista-calvinista da Inglaterra. Por muitas vezes afirmou em seus sermões: "Eu sou um grande pecador, mas eu tenho um grande salvador". Tornou-se pastor da Olney Church. Depois de muitos anos servindo nesta igreja, mudou-se para Londres a fim de liderar a St. Mary Woolchurch. John Newton morreu em 21 de dezembro de 1807. Em sua lápide, o epitáfio retrata bem sua experiência e caráter como um brilhante servo de Deus que nutriu como poucos a noção de sua limitação e dependência de Deus: "John Newton, uma vez um infiel e um libertino, um mercador de escravos na África, foi, pela misericórdia de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, perdoado e inspirado a pregar a mesma fé que ele tinha se esforçado muito por destruir".
Sua principal contribuição para a hinódia mundial foi seu hino "Amazing Grace", cuja letra, com tradução sem preocupação com métrica e rima, diz:

Amazing Grace (Graça Sublime)


Graça sublime (que doce som)
Que salvou um pobre miserável como eu
Eu antes estava perdido, mas agora fui achado
Eu era cego, mas agora vejo

Esta foi a graça que ensinou ao meu coração a temer
E graça que meus medos aliviou
Quão precioso, que a graça surgiu
A hora em que, primeiro, eu cri

Através de muitos perigos, fadiga e ciladas
Eu já passei
Essa graça me trouxe a salvo de tão longe
E graça que me conduzirá ao lar

O Senhor prometeu bênçãos para mim
Sua Palavra segura minha esperança
Ela será meu escudo e quinhão
Enquanto esta vida durar


E quando essa carne e coração passarem
E a vida mortal cessar
Eu terei no vale
Uma vida de alegria e paz


A terra se dissolverá como a neve
O sol vai deixar de brilhar

Mas Deus, que me chamou aqui na terra
Será para sempre meu.


Quando nós estivermos lá por dez mil anos
Brilhando como o sol,
Não teremos menos dias para cantar louvores a Deus
Do que quando nós começamos.


Agora ouça a bela execução do hino no endereço:
http://link.brightcove.com/services/player/bcpid1785324681?lid=1338935106&bctid=1913313052



Rev. Charles Melo de Oliveira

6 comentários:

Asp. Arthur Corrêa 18 de agosto de 2010 11:19  

Rev. Charles,

Este é realmente um dos mais belos hinos compostos por homens 'comuns', ou seja, que não estão na Bíblia.
Aos que gostam de um bom rock cristão, recomendo a versão deste hino pela banda Petra, ficou bem legal. E a versão em português pelo João Alexandre também ficou fera.

Abs.

Asp. Arthur Corrêa

Ligian 19 de agosto de 2010 12:36  

A graça de Deus é uma coisa que nunca vou compreender totalmente! Maravilhosa, tremenda!

Charles Oliveira 21 de agosto de 2010 20:14  

Arthur,

Pelo jeito você um gosto musical bastante refinado. A qualidade dos arranjos de Petra e do João são de tirar o chapéu, não?

Abraço!

Charles Oliveira 21 de agosto de 2010 20:16  

Li,

O John Newton compreendeu bem o sentido da graça de Deus depois de ter sido responsável pelo tráfico de milhares de escravos. Isso depois de pensar sobre a santidade e justiça de Deus. É interessante como alguém que compreende esses atributos divinos também se sente o pior dos pecadores e exalta a graça. Paulo disse que era o pior dos pecadores.

Asp. Arthur Corrêa 22 de agosto de 2010 17:01  

Rev. Charles,

Sou bem eclético, como o sr. percebeu, desde o rock clássico do Petra aos arranjos do João. Gosto da maioria dos estilos, até uma do Sérgio Lopes em ritmo nordestino (rs - mas só essa em ritmo nordestino hein !?).
Gosto muuito do Petra (como bom adolescente cristão que gosta de rock de verdade com uma boa mensagem).
Na verdade, o que mais me preocupo é com a letra das músicas.
Esse hino é espetacular.
Vi o comentário da Ligian me lembrei da melhor tradução de já ouvi para o título desse hino:
Costumamos traduzir 'amazing', simplesmente por 'maravilhosa' ou 'sublime', mas a melhor tradução que ouvi foi 'maravilhosamente inexplicável'.
Acho que reflete bem o que é a Graça de Deus.
Graça que nos trouxe da morte para a vida, Graça revelada no nosso amado Salvador, Jesus!

Abraço!

Asp. Arthur Corrêa

Anônimo,  15 de março de 2011 18:25  

eu achei linda essa canção

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Pesquisar este blog

Google Search

  ©Template by Dicas Blogger.